Transei com mulher do meu irmão - Contos Eróticos

Transei com mulher do meu irmão

Vou contar como transei com a mulher do meu irmão, a Kátia, uma morena linda de olhos azuis, cara de safada da porra, baixinha dos peitos gostosos e bunda tesuda, boca carnuda e uma bucetinha inchadinha deliciosa. Eu tenho 28 anos, meu irmão mais velho 31. Ele é casado com essa delícia faz uns 3 anos. Foi um casamentão bonito, ela tava gata de noiva, sempre tive um tesão da porra nela, eu comecei paquerando ela, mas meu irmão acabou furando meu olho porque na época eu namorava.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

A Kátia sempre teve jeitinho de safada, a gente trocava uns olhares e uma implicância bem louca só de zueira, meu irmão nunca teve ciúmes da gente, e eu aproveitava pra brincar com ela, as vezes eu falava que ela tava bem gostosa, que se meu irmão não tomasse cuidado eu pegaria, ele achava engraçado e falava que só em sonho eu pegaria ela, mas a Kátia sabia que tudo que eu falava era uma vontade real e me olhava toda safada.

Um dia ela tava na piscina de casa, ficou com um biquíni bem curtinho todo enfiado no cu. Que tesão, fiquei ali olhando aquele rabo gostoso todo redondinho e fui no banheiro tocar uma punheta. Eu já tava meio altinho, fui ao banheiro e ela passou por mim pouco tempo depois. Sem aguentar eu chamei ela pra ver. Ela tomou um susto danado, nessa hora me deu medo dela ficar puta da vida, mas ela deu uma risadinha e disse toda safada:

-Nossa, como você é sacana!

-Pega aqui cunhadinha, eu não aguentei ver você de biquíni e comecei a ficar assim com tesão.
Transei
Ela disse que tava com medo, mas falou pra eu gozar gostoso pensando nela, voltar pra o churrasco e depois a gente conversava. Fiquei animado, toquei minha punheta pensando naquele rabo gostoso e depois fui pra meu quarto. Depois de um tempo ela apareceu, disse que meu irmão tinha ido levar minha tia em casa junto com minha mãe e que meu pai foi dormir bêbado e ela aproveitou pra vir aqui.

A casa da minha tia é meio longe, ia demorar 1 hora pra ida e volta. Então não perdi tempo, agarrei minha cunhada, comecei a beijar ela todinha, senti o calor do seu corpo, e meu pau começou a subir e ficar duro feito pedra. Essa mulher me excita demais. Eu arranquei sua roupa com pressa, a gente infelizmente não tinha tempo pra curtir como queria.

-Que vontade que eu tava de fazer isso Kátia, que corpo cheiroso, que delícia você.

-Eu sempre quis dar pra você, mas quando vi o tamanho do seu pau eu fiquei louca. Só de pensar nessa tua pica dentro de mim eu já fico toda molhada, sente aqui.

(Quer usar este espaço para divulgar algo? clique na imagem.)

Quando ela disse isso eu enfiei a mão na buceta dela e senti o quanto tava encharcada. Que gostoso, ela tava bem molhadinha mesmo, me excitou. Comecei a beijar sua boca gostosa, apertar seus seios bem durinhos, senti ela gemer e ficar louca ofegante durante nosso beijo. Eu arriei meu short e a cueca e coloquei ela sentada no meu colo. Nem pensei em camisinha nem nada, meu pau tava duro pra caralho, enfiei fundo, soquei gostoso, senti aquela buceta quentinha bem molhada agasalhando meu pau, foi uma delícia de putaria.
Transei

Senti ela gemendo, aqueles peitões gostosos na minha cara, comecei a chupar, ela começou a cavalgar gostoso. Fiquei com muito tesão, que delícia do caralho. A buceta dela tava me melando inteiro, escorria pelo meu pau. Gemi, fiquei com vontade de socar mais forte, mas ia fazer o maior barulho.

-Que tesão o seu pau enfiado na minha buceta! Aaaaiii que delícia, mete, me come gostoso vai!

Ela dizia tudo isso bem baixinho e me deixava louco, que tesão. A gente não podia fazer barulho nenhum e isso deixava tudo mais gostoso. Botei ela de quatro sem falar nada, assim que inclinei o corpo ela já entendeu direitinho o que eu queria, ficou na beira da cama com aquele cuzão todo empinado. Coloquei um dedo no cuzinho dela pra deixar ela relaxada e depois introduzi outro deto ao mesmo tempo em que socava na sua buceta gostosa.

Ela gemia, rebolava no meu pau, eu já não tava mais me aguentando de tesão, deixei ela toda fudida, meti gostoso nessa vagabunda gostosa, vi aquele cu ali piscando, tirei da buceta, botei no cuzinho e comecei a enfiar até ela pedir arrego. Ela gemeu pra cacete, que cu apertadinho o dela. Avisei que ia gozar e ela disse pra eu gozar dentro. Dei uma gozada gostosa dentro daquele cu delicioso e quando fui dar o restinho de porra na boquinha dela, meu irmão chegou, a gente ouviu a buzina do carro e tivemos que sair na carreirado quarto, mas foi tudo uma delícia!

Gostou do conto? deixe-nos saber com um comentário.
Quer entrar no nosso grupo Whatsapp? Veja aqui como o fazer: Clique aqui.
E se quiser nos enviar o seu conto faça por aqui: Enviar Conto.

(Clique na imagem em baixo visite nosso parceiro)

Um comentário

  1. Sonia Almeida

    Tou com saudades dos contos novos

Deixe um Comentário. (Proibido divulgar Whatsapp ou emails)

Seu endereço de e-mail nao será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*